Linha de crédito imobiliário atrelada à poupança da Caixa vale a pena?

[ad_1]

A Caixa Econômica Federal lançou uma linha de crédito imobiliário atrelada à poupança, visando oferecer mais uma opção por quem quer ter sua casa própria. De acordo com o banco, as taxas oferecidas nessa modalidade também são diferenciadas, mais baixas do que as praticadas no mercado.

A taxa de juros varia ente 3,35% e 3,99%, embora especialistas alertem para os riscos de um financiamento imobiliário que depende da poupança, um investimento que é bastante variável. Para entender mais sobre essa oferta, seus riscos e vantagens, continue lendo.

Riscos da linha de crédito imobiliário

A nova linha de crédito do banco estatal conta com quatro alternativas de financiamento. Veja abaixo as possibilidades:

  • Linha de crédito tradicional: corrigida pelo TR (Taxa Referencial), tem taxas que variam de 6,25% a 8% ao ano.
  • Atrelado ao IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), a inflação: juros de 2,95% a 4,95% ao ano.
  • Empréstimos com juros fixos: taxas por volta de 8% até 9,75% ao ano.

A poupança, por sua vez, em geral tem custos menores, mas seu rendimento está atrelado à Selic, a taxa de juros básica do país. Pela regra, a Selic vai até 8,5% ao ano, enquanto o rendimento da poupança chega a 70% desse percentual.

Sendo assim, para saber quanto rende a poupança, basta calcular 70% da taxa básica de juros. Como ela atualmente está em 2%, a poupança está rendendo 1,4% ao ano. Esses cálculos servem para demonstrar que as taxas de correção do financiamento dependem de outas para serem definidas. Elas variam de 4,75% a 5,39%, e embora pareçam atrativas, a recomendação é ter cautela.

Todas essas porcentagens servem para explicar que a taxa de correção do financiamento varia entre seja, são taxas variáveis que dependem de outras para chegar em um número final. Mesmo considerada atrativa para quem deseja financiar no momento, especialistas na área recomendam cautela.

A grande vantagem de taxas fixas é a segurança de que o valor não vai mudar de um mês para o outro. Já as taxas variáveis excluem a certeza de que o valor caberá no bolso do cliente dentro de alguns anos.

Selic em 4%

Caso a Selic seja elevada para 4% ainda este ano, como se especula, o rendimento da popança iria de 1,4% para 2,8% ao ano, aumentando as taxas do financiamento para de 6,15% a 6,79% ao ano.

Por outro lado, mesmo com o risco da variação, as taxas continuam sendo menores do que as da modalidade do IPCA, em razão da inflação atual. É claro que isso pode mudar, já a expectativa é de que a taxa de juros supere a inflação no longo prazo.

Considerando todas essas informações, a recomendação dos especialistas é que o cliente garanta que terá sua renda mensal sempre corrigida para que possa arcar com as variações que afetam o valor do empréstimo.

Com taxas atrativas e possibilidade de migração para quem já paga um financiamento, a nova linha de crédito imobiliário da Caixa pode ser uma boa opção, desde que considerados todos esses pontos.

Leia mais: Conta gratuita Caixa para quem tem R$ 50 até R$ 2.000 de renda; Saiba como solicitar



[ad_2]

Source link